AUMENTO DE PADRÕES REMUNERATÓRIOS NO PJU: UMA ANÁLISE MATEMÁTICA CRÍTICA

Geral

Nota da Redação: Este artigo é baseado nas informações fornecidas pelos servidores Mahatma Gandhi de Siqueira Campos Cantalice (JF/PB), Isis Oliveira dos Santos (TRT/RJ), Liana Theodoro Ferreira dos Santos Barreto (TRE/MG), Nélia Vânia Rodrigues de Matos (TRT/MG), Rosimare Alves Ribeiro Petitjean (TRT/MG), Leandra Márcia Pereira de Andrade (TRE/RJ), Waleska Maria Alves Melo (JF/MG), Valkiria Maria de Souza Parizzi Ferreira (TRT/MG) e Ana Helena Nunes Nigro (JF/PB), Técnicos Judiciários e integrantes do Coletivo Técnicos em Ação! (TeA!). A Diretoria do SINDJUF/PB esclarece que este artigo não expressa a sua opinião.

Alerta de Servidores sobre Impactos Negativos de um Possível Aumento de Padrões Remuneratórios no PJU

Servidores do Poder Judiciário da União (PJU), representados por membros do Coletivo Técnicos em Ação!, lançam um alerta sobre os possíveis impactos adversos que um aumento nos padrões remuneratórios pode causar à categoria. A análise, baseada em princípios rigorosos de Matemática Financeira, revela que tal medida poderia resultar em ganhos menores e até perdas para servidores ativos e aposentados.

Análise Matemática e Prejuízos Potenciais para Aposentados

O exame crítico do possível aumento de padrões remuneratórios destaca a importância de considerar a Matemática Financeira para compreender os efeitos ao longo do tempo. A análise projeta cenários futuros e aponta para um possível estado de vulnerabilidade dos aposentados diante de uma reestruturação que aumente os padrões.

O Alerta de Amarildo Vieira de Oliveira

A live promovida pelo SITRAEMG trouxe insights valiosos, como o posicionamento do Ex-Diretor-Geral do STF, Amarildo Vieira de Oliveira. Ele afirmou que propostas de aumento de padrão, para cima ou para baixo, podem resultar em ampliações na quantidade de padrões em ambas as direções, prejudicando servidores.

Comparação de Tabelas e Projeções Matemáticas

A análise utiliza tabelas oficiais e outras produzidas pela base, destacando discrepâncias na amplitude entre faixas de padrões remuneratórios. Projeções matemáticas detalhadas revelam que a manutenção dos atuais 13 padrões é mais benéfica para os servidores, resultando em remunerações médias mais favoráveis após 30 ou 35 anos de serviço.

Conclusão: Manutenção dos 13 Padrões é mais Benéfica

Os ensaios matemáticos conduzidos pelos servidores do PJU indicam claramente que a manutenção dos atuais 13 padrões é a opção mais vantajosa para a categoria. O aumento de padrões poderia acarretar prejuízos financeiros, redução de remunerações iniciais e impactos negativos nas médias salariais, especialmente diante de possíveis alterações na legislação previdenciária.

Atenção: Este artigo reflete a opinião dos autores, membros do Coletivo Técnicos em Ação!, e não representa a posição oficial da Diretoria do SINDJUF/PB.

Para todos os detalhes, clique abaixo e veja o artigo completo!

4 thoughts on “AUMENTO DE PADRÕES REMUNERATÓRIOS NO PJU: UMA ANÁLISE MATEMÁTICA CRÍTICA

  1. Excelente publicação do SINDJUF/PB. A matéria é de interesse de toda a categoria.
    O artigo, que aplica tópicos especiais de Matemática Financeira em suas análises e conclusões, é um verdadeiro serviço prestado à categoria e em todo o serviço público, pois ensina a pensar corretamente acerca do assunto.

  2. Parabenizo o Sindjufe- Pb pela publicação! Considero muito importante um esclarecimento bem fundamentado como esse, para que as fake News a esse respeito sejam derrubadas e substituídas por estudos sérios.

  3. Parabéns ao SINDJUF/PB pela publicação de artigo tão importante para todos nós servidores. Aqui o tema é tratado de forma séria e consistente, fugindo de achismos. Estamos num momento de construção de uma carreira forte e consistente,
    Precisamos evitar dissabores futuros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *