SINDJUF-PB participa e apoia evento sobre o Autismo no TRE da Paraíba

O SINDJUF-PB Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Estado da Paraíba teve participação efetiva em um evento sobre o Autismo, realizado na manhã desta sexta-feira (29), no TRE da Paraíba. Na ocasião, o sindicato fez a entrega das carteiras aos servidores filiados.

De acordo com o Coordenador Geral do SINDJUF-PB, Cláudio Dantas, o evento é de extrema importância, pois leva um maior conhecimento e dá mais visibilidade ao tema na nossa sociedade.

“Dar visibilidade à questão do Autismo é trazer luz onde até então havia trevas. Eu, como tio de autista, sei da importância das pessoas estarem cientes de que essa questão existe e, o quanto antes tiver conhecimento sobre o assunto, você poderá lidar melhor com ele. A exemplo no que vemos neste evento (no TRE), o apelo à musicalização, como uma forma de lidar com a criança autista e, de forma geral, trazemos luz a esse assunto e esperamos que isso contribua para o desenvolvimento dos pais e dos próprios autistas”, destacou Cláudio Dantas.

Para a servidora do TRE-PB filiada ao SINDJUF-PB, Oniele Oliveira, mãe do autista José Oliveira, a importância do evento se resume em “conscientizar”.

“A importância de um evento como esse é conscientizar e mostrar que os autistas não são aquelas pessoas que vemos em filme. Com as terapias e através de muito trabalho, nós conseguimos levar uma vida normal e, com um evento desse nível aqui no TRE, ajudamos a mostrar o que é o autismo e que, por trás desse autista existe uma família, que trabalha muito e se esforça pela inclusão dele na sociedade”, frisou Oniele.

O QUE É AUTISMO

O Transtorno do Espectro Autista (TEA), conforme denominado pelo DMS-5, o Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais, também conhecido sua pela denominação antiga (DSM IV): autismo, é um transtorno neurológico caracterizado por comprometimento da interação social, comunicação verbal e não verbal e comportamento restrito e repetitivo. Os sinais geralmente desenvolvem-se gradualmente, mas algumas crianças com autismo alcançam o marco de desenvolvimento em um ritmo normal e depois regridem









FONTE: SINDJUFPB